Sexta-feira, 11 de Março de 2011

Milow - Ayo Technology

 

on fire baby, on fire.....

 

tags:

publicado por Bruma às 20:25
link do post | comentar | favorito

Muse - Undisclosed Desires

how i long to hear this....

 

 

tags:

publicado por Bruma às 04:54
link do post | comentar | favorito
Sábado, 19 de Fevereiro de 2011

porque é sempre assim.. porque tem que ser assim...

Mergulhei naquele olhar e sonhei um pouco

Embriaguei - me naqueles lábios e desejei beijá-los…

Num breve momento de fascínio

Conheci aquele ser e deslumbrei-me

As nossas almas deram as mãos

E dançaram ao som da atracão…

Como um novo universo

A ser criado nesse momento

Creio que me esqueci da vida e sorri

 

(by 'Transcendente')

 

tags:

publicado por Bruma às 18:35
link do post | comentar | favorito

Chasing pavements.. always running....

 

 

 

tags:

publicado por Bruma às 18:34
link do post | comentar | favorito

Desejo.... e desejo-te

Desejo...

sentir o vento que anda livremente,

que não tem dono mas sim vontade,

e que se torna imprudente,

quando maior for a velocidade.

Desejo...

sentir a chuva que em mim aterra,

quando não me abrigo sob nenhum tecto,

sentir a água que em mim penetra,

molhando o meu corpo por completo.

Desejo...

sentir ambos os pés na terra,

sentir essas forças da natureza,

pois então sei que nesta guerra,

estou vivo tenho a certeza.

Desejo...

um dia acordar de manhâ,

com vontade de mudar meu mundo,

e que esse dia seja amanhâ,

que se aproxima a cada segundo.

Desejo...

manter toda a minha bondade,

nesse esperado mundo de mudança,

manter a minha simplicidade,

e poder ser algumas vezes criança.

Desejo...

apenas desejo  desesperadamente viver,

com alegrias e também com alguma dor,

ter apenas aquilo que merecer,

desde que seja com muito amor.

Desejo.......

 

(retirado da net)

 

 

 


tags:

publicado por Bruma às 16:37
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2011

Just feel better

 

 

 

tags:

publicado por Bruma às 19:09
link do post | comentar | favorito

Paradise

 

 

tags:

publicado por Bruma às 19:01
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 21 de Outubro de 2010

Há dias assim

Há dias assim
cinzentos de sol
a amarelecerem as folhas da melancolia

Há dias assim
com sorrisos imóveis
quando tombam os ramos da noite

Há dias assim
onde o instante quebra
a aliança entre o homem e as coisas

E nesta sucessão dos dias
deslizo como uma gota sem contactos
que abro entre formas cegas que me ignoram

 

Poema de António Sem


publicado por Bruma às 20:43
link do post | comentar | favorito
Domingo, 10 de Outubro de 2010

quase, quase..

a reencontrar o meu equilibrio, sem esquecer como sou.. sempre assim..

tags:

publicado por Bruma às 03:04
link do post | comentar | favorito
Domingo, 28 de Fevereiro de 2010

O silêncio

 

Quando a ternura

parece já do seu ofício fatigada,

e o sono, a mais incerta barca,

inda demora,

quando azuis irrompem

os teus olhos

e procuram

nos meus navegação segura,

é que eu te falo das palavras

desamparadas e desertas,

pelo silêncio fascinadas


"Eugénio de Andrade"


publicado por Bruma às 02:39
link do post | comentar | favorito
Domingo, 21 de Dezembro de 2008

Vivir sin aire

 

 

sinto-me: just breathing..
música: Vivir sin aire - Mana

publicado por Bruma às 13:35
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 7 de Dezembro de 2008

Despedida

Por mim, e por vós, e por mais aquilo
que está onde as outras coisas nunca estão,
deixo o mar bravo e o céu tranqüilo:
quero solidão.

Meu caminho é sem marcos nem paisagens.
E como o conheces? - me perguntarão.
- Por não ter palavras, por não ter imagens.
Nenhum inimigo e nenhum irmão.

Que procuras? Tudo. Que desejas? - Nada.
Viajo sozinha com o meu coração.
Não ando perdida, mas desencontrada.
Levo o meu rumo na minha mão.

A memória voou da minha fronte.
Voou meu amor, minha imaginação...
Talvez eu morra antes do horizonte.
Memória, amor e o resto onde estarão?

Deixo aqui meu corpo, entre o sol e a terra.
(Beijo-te, corpo meu, todo desilusão!
Estandarte triste de uma estranha guerra...)
Quero solidão.

 

Cecilia Meireles

música: silêncio

publicado por Bruma às 13:12
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 3 de Dezembro de 2008

Quase..

Ainda pior que a convicção do não, a incerteza do
talvez, é a desilusão de um "quase". É o quase que me
incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo
que poderia ter sido e não foi.

Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda
estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não
amou.

Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos
dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias
que nunca sairão do papel por essa maldita mania de
viver no outono.

Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma
vida morna; ou melhor, não me pergunto, contesto! A
resposta eu sei de cor, está estampada na distância e
frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na
indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra
covardia e falta coragem até pra ser feliz.

A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai.
Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a
alegria e a dor, sentir o nada, mas não são.

Se a virtude estivesse mesmo no meio termo,
o mar não teria ondas,
os dias seriam nublados e
o arco-íris em tons de cinza.
O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma,
apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.

Não é que fé mova montanhas, nem que todas as
estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não
podem ser mudadas resta-nos somente paciência, porém,
preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é
desperdiçar a oportunidade de merecer.

Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros
amores impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um
coração vazio ou economizar alma.

Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é
romance. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina
acomode, que o medo impeça de tentar.

Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais
horas realizando que sonhando,
fazendo que planejando,
vivendo que esperando
porque, embora quem quase morre esteja vivo,
quem quase vive já morreu!

Sarah Westphal Batista da Silva

música: Delicate Damien Rice
sinto-me: still missing
tags: ,

publicado por Bruma às 23:13
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 12 de Novembro de 2008

no more...

 

 

música: Forgiven - Within Temptation
sinto-me: hurt
tags:

publicado por Bruma às 20:00
link do post | comentar | favorito

where are you??

 

 

música: Sharon Den Adel & Timo Tolkki Are You The One
sinto-me: waiting..

publicado por Bruma às 16:29
link do post | comentar | favorito
Sábado, 18 de Outubro de 2008

As I Die

às vezes apetece..

 

screaming so loud,

but no one hears me..

is this hard enough?

 

 

 

música: Eternal Tears of Sorrow - As I Die
tags:

publicado por Bruma às 23:45
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

The Heart of the Matter

 

 

 

"The Heart Of The Matter"

[originally performed by Don Henley]

I got the call today, I didn't wanna hear
But I knew that it would come
An old true friend of ours was talkin' on the phone
She said you found someone
And I thought of all the bad luck,
And all the struggles we went through
How I lost me and you lost you
What are these voices outside love's open door
Make us throw off our contentment
And beg for something more?

I've been learning to live without you now
But I miss you sometimes
The more I know, the less I understand
All the things I thought I knew, I'm learning them again
I've been tryin' to get down to the Heart of the Matter
But my will gets weak
And my thoughts seem to scatter
But I think it's about forgiveness
Forgiveness
Even if, even if you don't love me anymore

These times are so uncertain
There's a yearning undefined
And people filled with rage
We all need a little tenderness
How can love survive in such a graceless age
And the trust and self-assurance that lead to happiness
They're the very things we kill, I guess
Pride and competition cannot fill these empty arms
And the work they put between us,
You know it doesn't keep us warm

I've been trying to live without you now
But I miss you, baby
The more I know, the less I understand
And all the things I thought I figured out, I have to learn again
I've been tryin' to get down to the Heart of the Matter
But my will gets weak
And my heart is so shattered
But I think it's about forgiveness
Forgiveness
Even if, even if you don't love me anymore

All the people in your life who've come and gone
They let you down, you know they hurt your pride
Better put it all behind you; cause life goes on
You keep carrin' that anger, it'll eat you up inside

I wanna be happily everafter
And my heart is so shattered
But I know it's about forgiveness
Forgiveness
Even if, even if you don't love me anymore

I've been tryin' to get down to the Heart of the Matter
Because the flesh will get weak
And the ashes will scatter
So I'm thinkin' about forgiveness
Forgiveness
Even if you don't love me anymore
Even if you don't love me anymore

música: India Arie - The Heart of the Matter
sinto-me: missing you..
tags:

publicado por Bruma às 23:30
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 14 de Outubro de 2008

Você

 

 

música: Marina Elali - Você
tags:

publicado por Bruma às 00:34
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 8 de Outubro de 2008

Sonhos desfeitos

Sonhos desfeitos

Rogério Martins Simões

 

O Sol resplandece e a água espuma

As ondas vagueiam e o barco desliza

Sobra no meu peito uma dor bruma

Que se esfuma nas colinas da brisa

 

A minha mão sobressai e já foi calma

O meu papel reproduz o adverso

Deixa escrever o que chora a alma

Acalma, vagueia e ensaia um verso

 

A escrita azul tem uma mancha preta:

Letra miudinha que desenha a caneta.

Do bloco de notas gotejam os defeitos

 

E se não mais encontrar sonho vão…

Fiquem os versos que redigi com a mão

Colorindo sonhos, com sonhos desfeitos


publicado por Bruma às 23:27
link do post | comentar | favorito

Pensando en ti

 

 

música: Pensando en ti - La 5ta Estacion
sinto-me: thinking???
tags:

publicado por Bruma às 22:46
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 2 de Outubro de 2008

The First Time I Ever Saw Your Face

 

 

The first time ever I saw your face
I thought the sun rose in your eyes
And the moon and stars were the gifts you gave
To the dark and the empty skies, my love,
To the dark and the empty skies.

The first time ever I kissed your mouth
And felt your heart beat close to mine
Like the trembling heart of a captive bird
That was there at my command, my love
That was there at my command.

And the first time ever I lay with you
I felt your heart so close to mine
And I knew our joy would fill the earth
And last till the end of time my love
It would last till the end of time my love

The first time ever I saw your face, your face,
your face, your face

 

sinto-me: still missing you
música: The First Time I Ever Saw Your Face
tags:

publicado por Bruma às 08:12
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 4 de Setembro de 2008

O Retiro da Alma

 

 

Há quem procure lugares de retiro no campo, na praia, na montanha; e acontece-te também desejar estas coisas em grau subido. Mas tudo isto revela uma grande simplicidade de espírito, porque podemos, sempre que assim o quisermos, encontrar retiro em nós mesmos. Em parte alguma se encontra lugar mais tranquilo, mais isento de arruídos, que na alma, sobretudo quando se tem dentro dela aqueles bens sobre que basta inclinar-se para que logo se recobre toda a liberdade de espírito, e por liberdade de espírito, outra coisa não quero dizer que o estado de uma alma bem ordenada. Assegura-te constantemente um tal retiro e renova-te nele. Nele encontrarás essas máximas concisas e essenciais; uma vez encontradas dissolverão o tédio e logo te hão-de restituir curado de irritações ao ambiente a que regressas.

Marco Aurélio (Imperador Romano), in "Pensamentos"

música: silêncio

publicado por Bruma às 01:31
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 12 de Agosto de 2008

verdades..

"Todas as maravilhas de que precisas estão dentro de ti."

 

(Sir Thomas Browne)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 20:44
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

mudança - Shine On

sinto que está na altura de retirar esta música do blog que me faz recordar, não só a primeira vez que te vi, mas os sentimentos que teimo em não esquecer sempre que te vejo..

talvez um dia a volte a colocar..

 

por enquanto quero ouvir ritmos diferentes, quentes, de verão, como se essa mudança fizesse entrar na minha vida o sol que brilha nas praias..

 

Shine On - Sunrise

 

 

música: R.I.O. - Shine On (Original Mix)
tags: ,

publicado por Bruma às 01:55
link do post | comentar | favorito

The First Time Ever I Saw Your Face

 

 

The first time ever I saw your face
I thought the sun rose in your eyes
And the moon and stars were the gifts you gave
To the dark and the empty skies, my love,
To the dark and the empty skies.

The first time ever I kissed your mouth
And felt your heart beat close to mine
Like the trembling heart of a captive bird
That was there at my command, my love
That was there at my command.

And the first time ever I lay with you
I felt your heart so close to mine
And I knew our joy would fill the earth
And last till the end of time my love
It would last till the end of time my love

The first time ever I saw your face, your face,
your face, your face

 

música: The First Time Ever I Saw Your Face - Roberta Flack
tags: ,

publicado por Bruma às 01:41
link do post | comentar | favorito
Sábado, 2 de Agosto de 2008

Lembre-se

"Se está triste porque perdeu o seu amor,

lembre-se daquele que não teve um amor para perder.

Se ficou decepcionado com alguma coisa,

lembre-se daquele cujo nascimento já foi uma decepção.

Se está cansado de trabalhar,

lembre-se daquele que, angustiado, perdeu o emprego.

Se reclama de alguma coisa menos saborosa,

lembre-se do faminto, sem um pedaço de pão.

Se o seu sonho se desfez,

lembre-se de quem vive num pesadelo constante.

Se anda aborrecido,

lembre-se daquele que espera um sorriso seu.

Se tem um amor para perder,

um trabalho para cansar,

um sonho desfeito,

uma tristeza para sentir,

uma comida para reclamar...

 

Lembre-se de agradecer a Deus!

Porque existem muitos

que dariam tudo para ficar no seu lugar..."

 

 

Isto foi-me dado por uma amiga, há já algum tempo, com a intenção de me animar, aliviar a minha tristeza, mas como tantas outras mensagens que circulam, ficou na gaveta.

Na altura li, mas a minha própria dor era tanta que me impedia de pensar no sofrimento dos outros. É claro que sou sensível, sou uma pessoa humanitária e generosa, mas bolas, a infelicidade e a miséria dos outros é deles.

O meu desgosto não fará com que a dos outros seja menor.

 

Hoje, resolvi tirar da gaveta e ler...

E pensar...

 

 

música: silêncio

publicado por Bruma às 00:05
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 31 de Julho de 2008

pausa..

tenho que fazer uma pausa para pensar no rumo que vou dar à minha vida..

tanto tempo investido em ti, para agora perceber que tudo terminou.. ficarão as lembranças dos bons e menos bons momentos, do que fomos, e o lamento do que poderiamos ter sido...

 

 

 

 

Tu sabes que ninguém como eu te amou
Que ninguém nunca te entregou, o coração
Da maneira que eu o fiz

Já não posso aguentar isso
Acho que só posso estar melhor,
melhor que mal acompanhado

Isso não foi o que tu e eu,
tinhamos ficado de fazer, ontem
Sei que depois da tormenta vem a calma
Mas, eu não acredito que em ti haja calma
E como tê-la, com tanto drama

É impossivel que eu fique agora
É impossivel se tu me ignoras, e logo choras
Porque eu me afasto

Isso não foi o que tu e eu,
tinhamos ficado de fazer, ontem

Se essa é a classe de amor que tu me ofereces
Estás equivocada, não posso aceitá-la
Se essa é tua forma de amar, melhor me afasto
Procura-me se quiseres, quando estiveres curada

música: Juanes - Clase De Amor

publicado por Bruma às 23:46
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

não tem mais jeito..

 

música: Vanessa da Mata e Ben Harper - Boa Sorte / Good Luck
tags:

publicado por Bruma às 00:46
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 28 de Julho de 2008

I can't help myself

If I would tell you
how much you mean to me
I think you wouldn't understand it
So I'll wait, I'll wait until
this day comes
When you will understand it

But I can't help myself,
I can't stop myself,
I am going crazy
And I can't stop myself,
Cannot control myself,
I am going crazy

And I love you,
I want you
I wanna talk to you,

I wanna talk to you,
I wanna be with you

And I love you,
I want you
I wanna talk to you,
I wanna be with you

I cannot change it,
I'm sure not making it
One big hell of a fuss
I cannot turn my back
I got to face the fact
Life without you is crazy

Kiss me, thrill me,
don't say goodbye
Hug me, love me,
don't say goodbye
Ooooooh, don't say goodbye

But I can't help myself,
I can't stop myself,
I am going crazy
I cannot turn my back,
I got to face the fact
Life without you is hazy

Ooooh, ooooh, kiss me goodbye

 

 

 

música: Kelly Family - I Can't Help Myself

publicado por Bruma às 21:54
link do post | comentar | favorito

tudo o que não te digo..

não há sentimento de felicidade, de completude, como o de estares enroscado nos braços de alguém que amas depois de fazeres amor. e conseguires adormecer assim.
ou de te entregares de tal modo que nem te importas com o teu corpo, apenas queres ver na cara do outro aquele sorriso de prazer. sorriso que nunca mais esqueces.
ou de te reinventares constantemente na cama, pois sabes que sexo é uma partilha única quando se ama. única e sem limites.

ou de acordares a meio da noite perdida no meio dos lençóis e não o sentires ali e isso fazer aumentar o teu desejo.
ou de estares em silêncio num café, com a mão dela na tua perna, assim quieta apenas para estar em contacto, cada um a ler o jornal.
ou de receberes uma notícia que te incomoda e ele ir atrás de ti porque percebeu que não estavas bem, e nem pergunta nada, só te abraça.
ou de veres lágrimas nos olhos dele quando lhe contas uma coisa difícil do teu passado e ele te diz que já tinha percebido. assim, só. nem precisas de contar mais. sabes que ele percebe e partilha a tua dor.
ou de fazeres um jantar que queimou e o único comentário dele é que o teu arroz é bom.

ou de estares uma noite atrapalhada com um trabalho e ele apesar de estar cheio de sono ficar ali no escritório a dormir na cadeira só para te fazer companhia.

ou de saíres a meio da noite para ir a uma farmácia apesar de estares cansada, para lhe comprar uma pomada e fazer uma massagem pois ele está com dores nas costas.

ou de saberes que ele fica magoado só porque não lhe deste aquele beijo de despedida, pois estava muita gente e ficaste sem jeito.

ou de sentires uma dor imensa porque ele nesse dia não pode vir ter contigo.

e tu dizeres-lhe, fazes-me feliz, e ele responder, tu também.

e mais.. tanto mais..

 

 

 

 

 

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 00:18
link do post | comentar | favorito
Domingo, 27 de Julho de 2008

Beijo

Não posso deixar que te leve
O castigo da ausência,
Vou ficar a esperar
E vais ver-me lutar
Para que esse mar não nos vença.
Não posso pensar que esta noite
Adormeço sozinho,
Vou ficar a escrever,
E talvez vá vencer
O teu longo caminho.

Quero que saibas
Que sem ti não há lua,
Nem as árvores crescem,
Ou as mãos amanhecem
Entre as sombras da rua.

Leva os meus braços,
Esconde-te em mim,
Que a dor do silêncio
Contigo eu venço
Num beijo assim.

Não posso deixar de sentir-te
Na memória das mãos,
Vou ficar a despir-te,
E talvez ouça rir-te
Nas paredes, no chão.
Não posso mentir que as lágrimas
São saudades do beijo,
Vou ficar mais despido
Que um corpo vencido,
Perdido em desejo.

Quero que saibas
Que sem ti não há lua,
Nem as árvores crescem,
Ou as mãos amanhecem
Entre as sombras da rua.

 

www.youtube.com/watch

música: Beijo - Pedro Abrunhosa
tags: , ,

publicado por Bruma às 21:17
link do post | comentar | favorito

all the time..

 

música: Time after time - Quietdrive
tags: , ,

publicado por Bruma às 17:42
link do post | comentar | favorito

O Amor Verdadeiro

 

 

 

(imagem de Mick Payton)

 

 

  Quando encontrares alguém e esse alguém fizer o teu coração parar de funcionar por alguns segundos, presta atenção:
- Pode ser a pessoa mais importante da tua vida!
Se os vossos olhares se cruzarem e, nesse momento, houver o mesmo brilho intenso entre eles, fica alerta:
- Pode ser a pessoa que tu estás à espera desde o dia em que nasceste!
Se o toque dos vossos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem de água nesse momento, percebe:
- Existe algo mágico entre vocês.
Se o primeiro e o último pensamento do teu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradece:
- Algo do céu te mandou um presente divino: O AMOR!
Se um dia tiverem que pedir perdão um ao outro por algum motivo e, em troca, receberes um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem mais que mil palavras, entrega-te:
- Vocês foram feitos um para o outro!
Se por algum motivo estiveres triste, se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa sofrer o teu sofrimento, chorar as tuas lágrimas e enxugá-las com ternura:

- Poderás contar com ela em qualquer momento da tua vida!
Se conseguires, em pensamento, sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do teu lado...
Se achares a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijama velho, chinelos de dedo e cabelos emaranhados...
Se não conseguires trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo encontro que está marcado para a noite...
Se não conseguires imaginar, de maneira nenhuma, um futuro sem a pessoa ao teu lado...
Se tiveres a certeza que irás ver a outra envelhecendo...e, mesmo assim, tiveres a convicção que vais continuar sendo louco por ela...
Se preferires fechar os olhos, antes de a ver partindo:
- Foi o Amor que chegou na tua vida!
Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam ou encontram um Amor Verdadeiro.

 

Carlos Drummond de Andrade

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 01:01
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 26 de Julho de 2008

Difícil

 

 

No sé que es más difícil
ya para mi
si irme y olvidarte
o tu mejor amigo ser.
Ya somos tan distintos
y afines a la vez,
ya no es posible amarnos
como la primera vez.
Lo veo en tus ojos
cansados de llorar
andar en esta guerra
luchando por amarnos bien.
Lo siento en mis lágrimas
que ahogan ya mi fe
de hablarnos como antes
como la primera vez.
Y quiero gritar
y quiero gritar.
Por qué se acabó?
Por qué terminó?
Si supuestamente esto
era para siempre.
Por qué se acabó?
Por qué terminó así?
A dónde fue nuestro amor?
jardín que sembramos los dos.
A dónde fue nuestro amor?
el viento se lo llevó.
“ En el lugar más obscuro
de mi espíritu, se refleja
aun viva tu imagen y conoce
tu carne, tu vida y tu fuerza
tu noche, tu espacio, tu mente”
Y quiero gritar
quiero gritar.
Por qué se acabó?
Por que terminó?
Si supuestamente esto
era para siempre.
Por qué se acabó?
Por qué terminó así?
por qué se acabó?
Por qué terminó?
Si supuestamente esto
era para siempre.
Por qué se acabó?
Por qué terminó así?
A dónde fue nuestro amor?
jardín que sembramos los dos.
A dónde fue nuestro amor?
el viento se lo llevó.

música: Juanes - Difícil
tags: , ,

publicado por Bruma às 05:37
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 25 de Julho de 2008

será?

será que esta esperança, às vezes quase certeza, que sinto de que um dia voltarás para mim é um engano? e que este tempo todo que estamos separados não é mais do que um compasso de espera.. mas, esperar para quê? que percebas que afinal ainda me queres? que percebas que apenas tens os sentimentos confusos? ou que voltes a achar que vale a pena amar-me? não é possível forçar um sentimento..

 

hoje li e reli todos as mensagens e emails que trocámos, pensei em todos os momentos em que nos encontramos, os sinais que envias e no que representam.. manténs-me em suspenso.. não percebes que mesmo um simples gesto de amizade é para mim motivo de esperança?

confusa.. estarei assim tão enganada?

 

sei lá que lágrimas choro, de saudade, mágoa, solidão, arrependimento, já nem sei se te amei ou se fantasiei um amor que nunca existiu.. nem sei porque continuo ao fim de tanto tempo a ter-te tão presente.. talvez o esforço que faço a tentar esquecer-te seja tão intenso que só te traz cada vez mais à  minha lembrança.. mais do que ter tudo a fazer-me lembrar a tua presença, tenho tudo a recordar-me da tua ausência..

 

é mais fácil esperar que desistir..
como é verdadeira esta frase, assumir o fim deste amor é tão doloroso que me falta a coragem para o enfrentar..

talvez seja por isso, não tenho coragem para enfrentar a vida sozinha, por isso agarro me à tua ausência..

música: silêncio

publicado por Bruma às 20:36
link do post | comentar | favorito

O Poço

Cais, às vezes, afundas
em teu fosso de silêncio,
em teu abismo de orgulhosa cólera,
e mal consegues
voltar, trazendo restos
do que achaste
pelas profunduras da tua existência.

Meu amor, o que encontras
em teu poço fechado?
Algas, pântanos, rochas?
O que vês, de olhos cegos,
rancorosa e ferida?

Não acharás, amor,
no poço em que cais
o que na altura guardo para ti:
um ramo de jasmins todo orvalhado,
um beijo mais profundo que esse abismo.

Não me temas, não caias
de novo em teu rancor.
Sacode a minha palavra que te veio ferir
e deixa que ela voe pela janela aberta.
Ela voltará a ferir-me
sem que tu a dirijas,
porque foi carregada com um instante duro
e esse instante será desarmado em meu peito.

Radiosa me sorri
se minha boca fere.
Não sou um pastor doce
como em contos de fadas,
mas um lenhador que comparte contigo
terras, vento e espinhos das montanhas.

Dá-me amor, me sorri
e me ajuda a ser bom.
Não te firas em mim, seria inútil,
não me firas a mim porque te feres.

Pablo Neruda

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 02:36
link do post | comentar | favorito

Não te quero senão porque te quero

Não te quero senão porque te quero,
e de querer-te a não te querer chego,
e de esperar-te quando não te espero,
passa o meu coração do frio ao fogo.
Quero-te só porque a ti te quero,
Odeio-te sem fim e odiando te rogo,
e a medida do meu amor viajante,
é não te ver e amar-te,
como um cego.

Tal vez consumirá a luz de Janeiro,
seu raio cruel meu coração inteiro,
roubando-me a chave do sossego,
nesta história só eu me morro,
e morrerei de amor porque te quero,
porque te quero amor,
a sangue e fogo.

 

(Pablo Neruda)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 02:21
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 24 de Julho de 2008

Se me amas..

Vem...
Toca-me...preciso tanto!

Vem...
Abraça-me...quero teu calor...

Vem...
Beija-me...sente meu sabor!

Vem...
Olha-me nos olhos e vê neles
O tamanho do meu AMOR!

Vem...
...se me amas como eu te amo...
...se me desejas como te eu desejo
...se sentes minha ausência...como eu sinto a tua...

...então vem...e ter-me-ás
assim...pura, casta...e...
Apenas tua!

 

(poema de BlueShell)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 19:08
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Tattoo

 

 

música: Jordin Sparks - Tattoo
tags: , ,

publicado por Bruma às 19:02
link do post | comentar | favorito

Canto Nupcial

"Deixarão seu pai e sua mãe

e serão os dois uma só carne,

e serão os dois uma só carne"

 

Começa assim o cântico nupcial que estive hoje a ensaiar.. E continua..

 

"Quem é essa que sobe dos desertos,

quem vem apoiada no seu bem amado,

que vem apoiada no seu bem amado.

 

Põe-me como um selo em teu coração,

coloca-me em teu braço como um sinal,

porque o amor é forte como a morte,

o amor é forte como a morte."

 

Lindo! Ensaiar estes cânticos trazem de volta a serenidade que perdi há tanto, e mais do que isso, a esperança perdida recentemente..

 

(Adaptado do Cântico dos Cânticos - Biblia, por L. Oliveira e M. Neto)

 

música: Liturgica

publicado por Bruma às 01:57
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 18 de Julho de 2008

adeus..

 

 

perdi-te à 6 meses, tu perdeste-me hoje..

música: Pink Floyd
tags:

publicado por Bruma às 01:08
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 16 de Julho de 2008

almost the end..

cansada..

sinto que está a chegar ao fim, não porque te tenha esquecido, mas porque não tenho mais forças..

nem para lutar, nem para esperar..

 

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 19:44
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 14 de Julho de 2008

pesadelo

acordo dum pesadelo com a alma apertada..

em que depois de me pedires ajuda para uma música me dizes que é para ensaiares com a tua nova namorada de dois meses..

o que é isto?

o sono a dizer-me para acordar desta ilusão em que permaneço?

alguém nos céus me quer avisar?

apesar da angustia que me dá, começar a vivenciar este sentimento da perda, agora para uma outra mulher, em que tudo se torna definitivo?

já não és apenas tu que te afastaste, agora tens outra na tua vida, outra que me substitui, outra que te preenche..

um dia sei que isso acontecerá.. mas não estou preparada.

ainda não...

música: silêncio

publicado por Bruma às 03:45
link do post | comentar | favorito
Domingo, 13 de Julho de 2008

"Diário da tua ausência"

“Quando se ama alguém, tem-se sempre tempo para essa pessoa. E se ela não vem ter connosco, nós esperamos. O verbo esperar torna-se tão imperativo como o verbo respirar. A vida transforma-se numa estação de comboios e o vento anuncia-nos a chegada antes do alcance do olhar. O amor na espera ensina-nos a ver o futuro, a desejá-lo, a organizar tudo para que ele seja possível. É mais fácil esperar do que desistir. É mais fácil desejar do que esquecer. É mais fácil sonhar do que perder. E para quem vive a sonhar, é muito mais fácil viver.”



“Imagina que te escrevo em voz baixa. Falamos sempre baixo quando queremos que acreditem nas nossas palavras. E tudo o que aqui escrevo é verdade.
Escrevemos porque ninguém ouve. Escrevo-te porque estás longe, numa cidade onde o nevoeiro roubou o ar ao sol e as pessoas pensam mais do que sentem. Se ao menos estivesses aqui ao meu lado, passava-te a mão pela nuca, puxava-te ligeiramente os caracóis e então tu fechavas os olhos de prazer e eu sentia-te próximo. Mas isso agora não é possível…”

“Espero por ti porque acho que podes ser o homem da minha vida. E espero por ti porque sei esperar, porque nos genes ou na aprendizagem da sabedoria mais íntima e preciosa, há uma voz firme e incessante que me pede para esperar por ti. E eu gosto de ouvir essa voz a embalar-me de noite antes de, tantas e tantas vezes, te encontrar nos meus sonhos, e a acalentar-me de manhã, quando um novo dia chega e me faz pensar o quão longa e inglória pode ser a minha espera.”

Quando estou aqui sentada, a namorar o mar e a escrever este diário por ti e para ti, porque é mesmo para ti, meu querido, longínquo e quase impossível amor, sinto-me feliz e não me sinto só. Sei que a minha crença inabalável, a minha energia amorosa e o meu desejo eterno por ti irão alcançar-te e tocar-te de alguma forma. Não me perguntes como, mas sinto que é possível. Gosto de acreditar que tenho o dom de tornar realidade as minhas ficções. E, neste momento, tu és a minha mais bela ficção, um sonho que acalento como uma criança que cresce, sabendo que a espera será grande, será arriscada e ninguém sabe se será frutífera. O objectivo não é o mais importante, mas sim o caminho que se percorre para o alcançar.
Somos nós, com os nossos passos, que vamos fazendo o nosso próprio caminho. Há quem corra demasiado depressa e perca a alma no trajecto, há quem mude de ideias e arrisque um atalho, há quem não saiba escolher a melhor direcção quando chega a uma encruzilhada, há quem deixe pedras pelo caminho para não se perder, se precisar de voltar para trás.
Não sei que espécie de caminhante sou, para onde vou, não sei. Nem sei para onde vais. Nem tu sabes. Pode ser que um dia acordes com uma luz nova, uma força desconhecida que te vai trazer até mim… Sei que há uma força estranha que me faz correr para ti, embora nunca, em nenhuma circunstancia, corra atrás de ti, porque não posso, não me é permitido interferir no teu destino e mudar o curso da tua vida. Isso, terás que ser tu a fazê-lo, por ti e para ti, se assim o entenderes. Será que sentes a mesma força? Quero acreditar que sim, mas no fundo começo a sentir que não…”

 

Excerto do livro "Diário da tua ausência" de Margarida Rebelo Pinto

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 00:23
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 7 de Julho de 2008

o teu sorriso

hoje recordei o teu sorriso..

quando de manhã chegava ao café e tu já estavas sentado à minha espera a ler o jornal e sentias a porta a abrir e olhavas para mim e sorrias. e esse sorriso que me fazia também sorrir e que me fazia deixar de ver o caminho até à mesa.. caminhava até ti, sentava-me e dávamos um beijo rápido ainda com o sorriso nos lábios. um beijo rápido mas que apetecia deixar os lábios colados, só assim.. em contacto. e as mãos que se procuravam tocar, e os corpos que se procuram encostar no sofá.. apenas isso, encostar..

um sorriso que os outros notavam, esses outros que eu deixava de ver, pois só a tua presença se fazia sentir.. e as primeiras palavras, olá, dormiste bem? e mais do que saborear o café, saber que o dia de trabalho que começava seria fácil pois estavas comigo..

como recordo tão bem o teu sorriso..

 

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 19:45
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 30 de Junho de 2008

Let's Be In Love

You look at me smile down your own,
You make me feel like im the one,
Leave it to our hearts, we will find the way's of going throught...

Nights and days passed throught our lives,
and still i was sure of anything,
love is the key for our golden dreams...

Refrão:
Let's be in love again,
Let's do the sound in "bed",
Let's be in love again...

 

Look at me, Kiss me, Hold me, Feel me,
Love me, As if it was our last day...

Look at me, Kiss me, Hold me, Feel me,
Love me, As if it was our last day...

Refrão x2

If I could go, back in time,
I would say, once again,
Kiss me, Hold me, Feel me,
Love me...

If I could go, back in time,
I would say, once again,
Kiss me, Hold me, Feel me,
Love meeeee...

música: hands on approach
tags: , ,

publicado por Bruma às 12:32
link do post | comentar | favorito
Domingo, 29 de Junho de 2008

Don't Leave Me Now

 

 

Ooooo babe,
Dont leave me now.
Dont say its the end of the road.
Remember the flowers I sent.
I need you, babe,
To put through the shredder in front of my friends.
Oh babe,
Dont leave me now.
How could you go?
When you know how I need you,
To beat to a pulp on a saturday night.
Oh babe,
Dont leave me now.
How can you treat me this way?
Running away.
Oh babe,
Why are you running away?

música: Pink Floyd
tags: , ,

publicado por Bruma às 23:00
link do post | comentar | favorito

Grito

E de repente o grito
o desespero da dor
a pele que rasga
o sangue que cega
a vida que se perde.
E de repente o silêncio
que ganha vida
e força
e se torna enorme
gigante
inquietante.
E de repente o
desespero
desesperadamente
presente.

 

(retirado da net)

música: silêncio

publicado por Bruma às 00:57
link do post | comentar | favorito

perder...

"Já não se encontrarão os meus olhos nos teus, já não se adoçará junto a ti a minha dor, mas por onde for levarei o teu olhar e para onde fores levarás a minha dor.

Com a nossa separação ambos perdemos muito. Eu perdi porque tu foste a pessoa que mais amei na minha vida. Tu perdeste porque eu fui a pessoa que mais te amou na tua vida.
Mas de nós dois, tu foste a pessoa que mais perdeu, porque eu posso vir a amar outra pessoa, como eu te amei, mas tu... jamais terás alguém que te ame como eu  te amei."

 

(retirado da net)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 00:35
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 27 de Junho de 2008

gritar

deixar sair as palavras..

apenas isso, talvez com elas saiam os lamentos..

talvez com elas saia a dor..

aqui posso chorar que não me vês,

aqui posso gritar que não me ouves..

 

seis meses, para quê contar os dias. seis meses de esperanças vãs, seis meses de indecisões, seis meses de sofrimento, seis meses de tempo, mas não seis meses de vida.

vivo agarrada a esta esperança de que tu voltes, mas por cada dia que passa percebo que te afastas mais, até chegares a um ponto em que não há retorno. hoje mais uma vez percebi isso.

 

 

já chega, afinal as palavras não saiem e a dor também não.

esta noite a tua almofada está ocupada..

com as palavras que calo.

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 23:54
link do post | comentar | favorito

A carta que eu nunca te escrevi

 

 

aqui deixo as cartas que te escrevi e não enviei

 

 

 

música: A carta que eu nunca te escrevi - Boss AC
tags: , ,

publicado por Bruma às 23:44
link do post | comentar | favorito

Let Me Out

 

 

You sit and you stare and you wait and you wonder
You think "Maybe it's me and I'm being a fool."
You start to believe it's a curse that you're under
And you're just a doll for a girl who is cruel
With a pin

(Chorus)
So let me out
Or let me in
And tell me how, we can win
Cause I really wanna know now
Before I begin
To let you go (to let you go)
So let me know

I'd rather be wandering hungry and homeless
Than here in the warmth of a silent defeat
You've gotta be honest with me and be ruthless
'stead of shifting uncomfortably there in your seat
And your skin

(Chorus)

And who'd've thought I'd have the strength to say
"Let me out or let me in"
But as the words are pouring in my mouth
I wanna say them again, and again and again

Oh
Let me out, or let me in,
Oh no no
And tell me how
We can win
Oh no I really wanna know now
Before I begin
Oh to let you go (to let you go)
Let me know

música: Let Me Out - Ben's Brother
tags: , ,

publicado por Bruma às 08:52
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 26 de Junho de 2008

If I could be where you are

 

 

sinto-me: cansada
música: If I could be where you are - Enya
tags: , ,

publicado por Bruma às 03:13
link do post | comentar | favorito
Sábado, 21 de Junho de 2008

Missing You

 

 

Every time I think of you
I always catch my breath
And I'm still standing here
And you're miles away
And I'm wondering why you left
And there's a storm that's raging
Through my frozen heart tonight
I hear your name in certain circles
And it always makes me smile
I spend my time
Thinking about you
And it's almost driving me wild
And there's a heart that's breaking
Down this long distance line tonight
I ain't missing you at all
Since you've been gone away
I ain't missing you
No matter what I might say
There's a message in the wire
And I'm sending you this signal tonight
You don't know how desperate I've become
And it looks like I'm losing this fight
In your world I have no meaning
Though I'm trying hard to understand
And it's my heart that's breaking
Down this long distance line tonight
I ain't missing you at all
Since you've been gone away
I ain't missing you
No matter
What my friends say
And there's a message that I'm sending out
Like a telegraph to your soul
And if I can't bridge this distance
Stop this heartbreak overload

Chorus

And there's a storm that's raging
Through my frozen heart tonight
I ain't missing you

música: John Waite - Missing You
tags: , ,

publicado por Bruma às 07:01
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 19 de Junho de 2008

Vem...

 

 

Vem ..
Toca-me .. preciso tanto !

Vem ..
Abraça-me .. quero teu calor ..

Vem ..
Beija-me .. sente meu sabor !

Vem...
Olha-me nos olhos e vê neles
O tamanho do meu AMOR !

Vem...
.. quando  me amares como eu te amo ..
.. quando  me desejares como te eu desejo
.. se sentires minha ausência .. como eu sinto a tua ..

.. então vem .. e ter-me-ás
assim .. pura, para sempre
Apenas tua !! ..

 

(BlueShell)

música: silêncio

publicado por Bruma às 03:00
link do post | comentar | favorito

O Desespero

Apesar de não estares aqui, só consigo pensar em ti! Nem sequer consigo olhar com olhos de ver para outros homens. Todos me parecem tão iguais. Nenhum consegue despertar em mim o que tu despertaste. Odeio-te. Amo-te. Estás a atrapalhar a minha vida! Quero-te de volta. Quero que desapareças de vez. Quero encontrar novamente o que tive contigo, mas tudo me foge…Não fujas de mim, por favor! Será que não consegues um meio? Onde estás? Desapareceste. Acho que vou tomar uma bebedeira descomunal em honra dos velhos tempos. Quando estávamos juntos. Quando o meu coração tinha uma alma gémea. Sim porque agora mesmo "solteira" na prática o estúpido continua a pensar que ainda estás presente, que ainda te deve alguma fidelidade. Tenho de arranjar coragem para lhe comunicar a notícia: «Estás livre. A verdadeira alma gémea, foi-se.» No entanto olha que ele não vai acreditar. Até já consigo ouvir a valente gargalhada que irá dar. O amor morreu. Morreu o meu romantismo e a confiança no amor eterno. Mataste-o. O amor morreu. Viva o amor!
A bebedeira resultou em má disposição e numas olheiras horrorosas. O meu humor está em decadência. Porque é que a vida não é como nos filmes? Quando as coisas correm mal levanta-se dinheiro da choruda conta e faz-se um cruzeiro pelas ilhas gregas, onde assim …só por acaso se vive o romance da nossa vida e voltamos novas! Novo penteado! Roupa nova! Confiança e auto-estima no máximo! Como odeio o meu coração por não te conseguir esquecer, por te chamar noite e dia…e dia e noite…Quero mostrar-te que estou óptima! Que a tua ausência, que a ausência do teu amor não me causou qualquer mossa. Como conseguir?
Sinto que o meu orgulho, aquele que transformaste em desespero está a voltar lentamente. Afinal é a única coisa que sempre foi minha. O meu orgulho! Por vezes desmedido, eu sei. Mas por vezes bem necessário. Acho que está na hora de o erguer para que o meu verdadeiro eu possa finalmente vir ao de cima. Magoada, é certo. Mas de cabeça bem erguida. O teu desaparecimento não me chegou. Continuo a desejar os teus braços. Dói tanto esta realidade. Já quis pensar em ti só como amigo para que a dor pudesse abrandar, nem que fosse só por momentos mas não. Como te amo! Como me odeio por ainda o sentir, por estar ainda á tua espera, por querer-te de volta. Como odeio esta minha fraqueza. Maldita esperança que teima em aparecer quando eu sei que é inútil. Estou outra vez a chorar…Estas saudades são inimagináveis. Sinto uma dor quase física quando pressinto que estás por perto… e tão longe, longe de mim que te amo e anseio por ti, como uma parva. Porque é que quando as coisas parecem estar finalmente a correr bem, o azar, o destino, chamem-lhe o que quiserem nos bate a porta e diz " Não achas que já chega? Vá fica na merda novamente! Não! Não acho suficiente! Lutei por essa felicidade! Não é justo tirarem-ma. Não é justo!...
Malditas lágrimas que teimam em cair. Maldito desespero! Como quero desaparecer daqui para fora. Como queria voltar atrás no tempo e ter dançado com outra pessoa naquela noite. Foi aí que tudo começou. Numa simples dança, num fim-de-semana igual a tantos outros…Olhei depois para ti e pensei: Porque não? Porque não, estúpida? Porque ele vai fazer-te sofrer, vai fazer-te apaixonar de corpo e alma e depois vai simplesmente desaparecer. Porque é que o destino não me soprou isto ao ouvido, ao invés daquela voz…Ao invés da tua voz…Do teu sorriso…Do teu olhar…Do teu toque…Porquê merda?! Porquê?! È que o parvo do meu coração não te quer deixar sair! Realmente não sei o que lhe fizeste! Tentei ensiná-lo a não ser ingénuo, a ver por entre as palavras mas ele, pelos vistos não aprendeu nada! Eu também não! Será isto normal?! Estou no terraço, sentada, a observar o mar…A noite está calma, morna agradável até, tendo em conta a chuva que caiu durante a tarde. Ao contrário do meu coração que arde de raiva, os pensamentos que correm a uma velocidade louca e inevitavelmente, fogem até ti. Sei que te perdi definitivamente. Como eu te quero alcançar, como te quero mostrar que te podia fazer feliz se me deixasses. Mas tu és passado. Tenho de dar rumo á minha vida. Não podes continuar a monopolizar os meus dias, as minhas noites, os meus sonhos. Tenho de tomar uma decisão. Deixar-te ir de vez. Mas hoje não. Estou cansada. Cansada de pensar. Hoje não! Hoje tenho saudades tuas. Mais do que possas imaginar. Mais do que consigo suportar. Queria que estivesses aqui. Apenas abraçado a mim. Nada mais…Nada menos…

 

(texto retirado da net )

e tão verdadeiro, tirando a parte de ter começado por uma dança. para mim começou por um olhar quando vinhas ter comigo para te apresentares.

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 02:49
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 18 de Junho de 2008

Eterna Partida


 

Longe na bruma dum tempo que passa

e não se percebe se é ou já foi
eu vejo-te aos poucos voar para fora
dum sonho secreto que amámos os dois...
Mas voa, avezinha, levanta-te agora
desdobra os teus sonhos como asas de vento!
Bebe o ar alto, faz-te condor
sem um lamento, sem um momento
em que olhes de volta e me vejas a dor
de te ver partir além fantasia
que chega ao seu fim...
de te ver fugir da vida vazia
que fica comigo
pra justo castigo
de te amar assim...
Foste musa, poesia, aurora e fragrância
Deusa pagã, virgem, irmã,
altar ritual de transes de amor...
e dor… também dor,
qual luz de mil sóis de infinito calor
que vivi e sofri, que te dei e me deste
em mergulhos perdidos no fundo de nós
Foste o meu norte, o meu sul, o meu leste,
a droga que encheu o meu sangue de vida
segredada a sós,
sussurrada a dois
e que eu sempre soube dever aprender
a ter que perder...
um dia… depois...
e sempre depois,
na bruma dum sonho que eu queria sem fim
mas que só podia
existir sem mim!...

Foram dias e noites e meses e anos
contigo em segredo a encher-me o vazio
do saco fechado deste viver!
…mas nada mudou,
anda cá, anda ver:
os olhos cansados que embalam futuros
de incerto horizonte do vácuo que sou
mantêm fieis a promessa perene
que fiz em silêncio,
de te serem puros,
de te amarem sempre!
Nada mudou!
Nem em mim nem em nós.
só mudaste tu, como tinha que ser,
e mesmo sem querer, ficámos mais sós...
Vou partir pra bem longe da dor que há em mim
e saber acordar de novo sozinho.
Vou fazer assim em defesa do ninho
a que tu tens direito com alguém que o mereça...
…mas antes que esqueça, porque isso não posso,
vou guardar tudo aquilo que um dia foi nosso
num canto secreto do meu coração
que, queiras ou não, será sempre teu!
Aí, por mais voltas que o destino invente,
Vives tu, meu amor, eternamente!

 

 (Pedro Laranjeira)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 23:18
link do post | comentar | favorito

apenas durante um momento..

hoje, por um momento, olhei os teus olhos, e tu, por um momento, tinhas o olhar nos meus..

e senti.. o meu coração bater mais depressa e ao mesmo tempo mais fraco..

como se dentro do meu corpo que estava imóvel tudo se desvanecesse, ao sentir o meu interior ser puxado para a terra..

e tive que desviar os olhos..

nunca pensei ser tão difícil esquecer-te.

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 21:42
link do post | comentar | favorito

Nha Cretcheu (Meu Amor)

Sair à rua com uma sede imensa 
De te esquecer
Sentar-me num lugar com indiferença 
Por não te ver
E de repente sei que é isto que não quero
Olhar à volta e saber que ainda te espero
Sentir a sensação de quem não está no seu lugar
Não quero lá estar 
Assim...

Nha Cretcheu
Nha Cretcheu
Nha Cretcheu
Nha Cretcheu

 

Voltar a casa com um sentimento 
De solidão
Fingir que estás no pensamento 
Sem razão
E de repente sei que é isto que não quero
Voltar a casa e saber que ainda te espero
Fazer de conta que já estou no meu lugar
Não quero lá estar 
Assim...

Nha Cretcheu
Nha Cretcheu
Nha Cretcheu
Nha Cretcheu

E de repente sei que é isto que não quero
Voltar a casa e saber que ainda te espero
Fazer de conta que já estou no meu lugar 
E não quero lá estar 
Assim...

Nha Cretcheu...

(Sara Tavares e Ani Fonseca)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 00:25
link do post | comentar | favorito

Pensar em você dói..

Aqui, nesta noite sombria,
Penso em você.
No que poderíamos viver,
mas não vivemos.
No que poderíamos fazer,
mas não fizemos.
No quanto poderíamos amar…
mas não amamos…
Meus olhos se turvam,
Minha garganta engasga.
Pensar dói.
Amar dói.

 

(Chavela Vargas)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 00:07
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 11 de Junho de 2008

sol.. calor..

sentir a aragem transformar-se nas tuas mãos que me acariciam o corpo e pegam fogo à minha pele, mais do que os raios de sol que estão sobre mim.. como aumenta o desejo sentir o calor entrar dentro de mim.. como se fosses tu que estivesses deitado em cima de mim a moveres-te ao ritmo da música que tenho nos ouvidos e que sinto como sendo a tua voz a sussurrar, a tua respiração no meu pescoço, o teu arfar.. e sentir a humidade que desce por mim ao mesmo tempo que entra a dor no meu coração.. afinal não és tu que estás aqui.. não é ninguém apesar de te procurar em todos os momentos.. e procuro-te.. mesmo sabendo que não me queres.. e toco-me.. mesmo sabedo que não me sentes.. noites sem fim onde me perco..

música: tantas
tags: , , ,

publicado por Bruma às 22:07
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 10 de Junho de 2008

Desistir

Desistir de ti é desistir do meu sonho de amor.

Como posso continuar a lutar sozinha se tu não queres?

E como posso deixar de sonhar contigo?

Em ti senti que podia confiar, em ti senti que podia descansar.

E perdi mais do que perder-te..

Perdi a minha esperança..

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 19:30
link do post | comentar | favorito

Procurei-te para lá da memória..

"Procurei-te para lá da memória..
Nos cantos que só nós conhecemos..
E não te vi.

Vi apenas o negro da tua falta,
a dor sem fim que só se pode sentir"

(José Luís Peixoto)

 

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 12:22
link do post | comentar | favorito

o beijo

não sais da minha pele, não sais da minha mente, não sais dos meus sonhos.. não me deixas dormir.

o beijo que agora demos, não era um beijo sôfrego, apaixonado, mas era um beijo completo.. corpos colados, abraço apertado, a tua mão a roçar o meu cabelo, as minhas pelas tuas costas, rostos inclinados, bocas unidas, movimentos suaves..

o beijo perfeito.. a posição perfeita.. sentimentos perfeitos..

então porque acordo e tu não estás? porque foste embora?

se já foste, então vai! vai! sai do meu corpo! sai da minha vida! quiseste ir embora! então diz-me para te esquecer! um amor vivido só de um lado não é justo.

vai-te!!! deixa-me em paz! deixa-me dormir!

 

estou cansada de sofrer

 

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 06:09
link do post | comentar | favorito

nada..

nada.. nada.. e mais nada...

não me dás nada!

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 02:28
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 9 de Junho de 2008

amanhã..

 

ouve.. este é também o meu grito.. hoje é domingo e amanhã.. o que será amanhã? o que será de mim amanhã???

música: Será - Pedro Abrunhosa
tags: , ,

publicado por Bruma às 03:38
link do post | comentar | favorito

Fingir

Hoje, como em demasiados outros dias, mas ainda assim mais que em qualquer outro dia, queria fingir....

Fingir que não é saudade o que sinto...

Fingir que o sabor dos teus lábios ainda vive nos meus...

Fingir que são os teus braços que me envolvem neste eterno inverno...

Fingir que estás ao meu lado não apenas nos momentos em que fecho os olhos...

Fingir que não é apenas o desejo que percorre o meu corpo mas sim as tuas mãos...

Hoje, como nos outros dias, quero fingir que não sonhei as recordações que vivem nas minhas lágrimas... e fingir que me amas como eu te amo...

 

(retirado da net)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 03:29
link do post | comentar | favorito
Domingo, 8 de Junho de 2008

Súplica

Agora que o silêncio é um mar sem ondas,
E que nele posso navegar sem rumo,
Não respondas
Às urgentes perguntas
Que te fiz.
Deixa-me ser feliz
Assim,
Já tão longe de ti como de mim.

Perde-se a vida a desejá-la tanto.
Só soubemos sofrer, enquanto
O nosso amor
Durou.
Mas o tempo passou,
Há calmaria...
Não perturbes a paz que me foi dada.
Ouvir de novo a tua voz seria
Matar a sede com água salgada.

 

 

Miguel Torga

música: ainda não estou em silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 00:26
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 2 de Junho de 2008

One Last Breath

 

 

Please come now I think Im falling
Im holding on to all I think is safe
It seems I found the road to nowhere
And Im trying to escape
I yelled back when I heard thunder
But Im down to one last breath
And with it let me say
Let me say

Hold me now
Im six feet from the edge and Im thinking
That maybe six feet
Aint so far down

Im looking down now that its over
Reflecting on all of my mistakes
I thought I found the road to somewhere
Somewhere in his grace
I cried out heaven save me
But Im down to one last breath
And with it let me say
Let me say

Hold me now
Im six feet from the edge and Im thinking
That maybe six feet
Aint so far down

Sad eyes follow me
But I still believe theres something left for me
So please come stay with me
cause I still believe theres something left for you and me
For you and me
For you and me

Hold me now
Im six feet from the edge and Im thinking 

música: Creed - One Last Breath
tags: , ,

publicado por Bruma às 15:42
link do post | comentar | favorito

desespero..

No peito uma dor que entope a fala e que a pede. Uma dor inexplicável e insolúvel que brota águas e uivos lancinantes e não pára e nada pára. A dor dos desastres recorrentes. A dor que já não sei se é de ti, se de mim, se de tudo ou de tanto nada. A dor que quero curar e nada cura. Como queria quem me ensinasse o mundo.

 

(retirado da net)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 06:07
link do post | comentar | favorito
Domingo, 1 de Junho de 2008

Por quem não esqueci..

Há uma voz de sempre,
Que chama por mim.
Para que eu lembre,
Que a noite tem fim.

Ainda procuro,
Por quem não esqueci.
Em nome de um sonho,
Em nome de ti.

Procuro à noite,
Um sinal de ti.
Espero à noite,
Por quem não esqueci.

Eu peço à noite,
Um sinal de ti.
Quem eu não esqueci...

Por sinais perdidos,
Espero em vão.
Por tempos antigos,
Por uma canção.

Ainda procuro,


Por quem não esqueci.


Por quem já não volta,


Por quem eu perdi.

 

(Sétima Legião)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 04:59
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 30 de Maio de 2008

nos teus braços...

como é tão grande a dor de não te ter.

como preciso dos teus braços, do teu colo,

apenas para me enroscar neles e

me sentir segura.

como dói estar aqui sem ti....

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 03:00
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 28 de Maio de 2008

voltar a dormir

acordei devagar contigo no meu pensamento.

que saudades de me dar a ti e de te ter entregue a mim,

 

não, não quero acordar!

fecho o olhos e tento reter a imagem de ti na minha boca

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 08:12
link do post | comentar | favorito

escuta

Green Story

 

...

escuta as outras canções que canto,
...
as palavras a brotarem
das minhas mãos,
da minha pele ,
do meu sexo.

escuta os gestos , os braços,
...
as palavras indizíveis,
as ditas,
as obscenas.

escuta a flor que renasce
e não diz versos, mas deseja.
e desejando encontra a poesia
a liberdade da paixão,
o poema.

escuta o que digo
para além do poema.
o olhar oceânico,
de quem sorri e chora
e não sabe ainda nada.

escuta-me
ou nunca saberemos
o que poderia ser.



silvia chueire

(composição retirada da net)

música: Summertime de Angelique Kidjo

publicado por Bruma às 00:29
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 27 de Maio de 2008

Sofrimento no amor

 

 

 

 

 

 

 

 

Já não choro
Não por, não ter lágrimas
Mas por estar cansada
De sofrer.
De não ser amada…
Ás vezes penso
Que já não existes
Outras vezes penso
Que morreste
Mas quando me encontro com a solidão
Invades-me de novo
Invades de novo meu coração.
Resta um bocadinho de esperança
Que gostaria de apagar
Para puder deixar,de te amar.
Como se isso fosse possível
Não conseguimos dar ordens
Ao nosso coração
Como é possivel.
Sofro por isto
Sofro por tanta paixão
Mas não consigo entender
Porque me tens aversão.
Não consigo compreender
Como me expulsaste assim
Se foste tu
Que alimentaste o meu amor
E de amor me alimentaste a mim.
Amor tu me deste
Amor te retribui
Penso que não compreendeste
Todo o amor que senti.
Desapareceste
E sem explicação.
Deixando-me a sofrer
Por tanta paixão
Deixando-me assim.
Continuo a viver
Mas sem compreender
Porque me abandonaste
Deixando-me sem entender
Deixando-me a sofrer…

 

(retirado da net)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 02:02
link do post | comentar | favorito
Domingo, 25 de Maio de 2008

Volta para mim

Nada mais sou que um sussurro
deixe-me dormir, sonhar e ficar, não quero
ver, pensar, ser ou sentir, deixe-me dormir
sem você não vivo, luto vou usar,
do mundo me esconder, se ficar sem você
que vejam minha dor, sem você já não sou
corpo já não sinto, nos dias me perco
minha cama está vazia, meu corpo tem sede
minha alma está fria, venha me aquecer, só quero você.

(Eunice  Cardial)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 21:55
link do post | comentar | favorito

O Teu Silêncio Cresce

 
oteusilencio.jpg (11043 bytes)

O teu silêncio cresce
e o que resta são murmúrios de ausência
neste espaço que se veste de mágoa

 

 

(Ilustração e Poema de António Sem)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 12:03
link do post | comentar | favorito

As Minhas Mãos

 
fogueira.jpg (13427 bytes)
 

As minhas mãos afagam a doçura
e estendem-se gentis e tranquilas
pelas horas infindáveis
de muitas coisas passadas

em anos vividos
abraçados num destino
que transporta consigo
pedaços de uma vida

As minhas mãos afagam a doçura
e trazem novos afagos de lua cheia
buscando ansiosas e aflitas
o conforto de uma pele macia
de tanto prazer abraçado
e de tanta delícia sentida

 

 

(Ilustração e Poema de António Sem)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 00:05
link do post | comentar | favorito
Sábado, 24 de Maio de 2008

Há Dias Assim

Há dias assim
cinzentos de sol
a amarelecerem as folhas da melancolia

Há dias assim
com sorrisos imóveis
quando tombam os ramos da noite

Há dias assim
onde o instante quebra
a aliança entre o homem e as coisas

E nesta sucessão dos dias
deslizo como uma gota sem contactos
que abro entre formas cegas que me ignora

 

(António Sem)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 14:26
link do post | comentar | favorito

abraço

fecho os olhos e imagino-te algures.. e recordo os teus braços a envolverem-me.. num abraço apertado, longo. corpos quietos, colados.. um abraço tantas vezes dado..

como sinto tão próxima a tua ausência..

 

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 13:34
link do post | comentar | favorito

feitiço

 

 

música: Foi Feitiço - André Sardet
tags: , ,

publicado por Bruma às 13:21
link do post | comentar | favorito

sonhar

gostaste, sofreste, abraçaste, beijaste..

mas nunca sonhaste comigo..

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 13:12
link do post | comentar | favorito

O som da tua ausência

Não há nada mais belo 

nem tão profundo 

que a tua doce presença 

Sem ti, não há sentido 

que é a vida, qual sua essência? 

Só me resta contemplar o mar 

ver as ondas, relembrar. 

os suaves momentos vividos 

E ouvir o som da tua ausência:

...

e chorar, e chorar...

 

(de Ronaldo Andrade)

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 07:44
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 22 de Maio de 2008

sem brilho

olho para o espelho e vejo os meus olhos sem brilho

e recordo o sorriso que costumas trazer no teus

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 14:44
link do post | comentar | favorito

saudade

levo nos lábios o sabor do beijo que não demos

levo o coração mais vazio pois ele fica nestas palavras

palavras tantas vezes ditas e misturadas,

até perderem o sentido

quem dera que também os sentidos se perdessem

e ficassem contigo

mas não, a dor de te perder,

essa está bem viva comigo

música: silêncio
tags: , ,

publicado por Bruma às 14:28
link do post | comentar | favorito

valeu a pena

Valeu a pena, gostar como gostei, sofrer como sofri,

valeu a pena, abraçar como te abracei, beijar como te beijei,

valeu a pena, sonhar como sonhei...

 

(palavras tuas)


publicado por Bruma às 14:25
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2008

o adeus

disseste-me adeus..


publicado por Bruma às 20:45
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 17 de Janeiro de 2008

o adeus anunciado

disseste que me ias dizer adeus..


publicado por Bruma às 20:36
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 16 de Janeiro de 2008

If You Give Up



if you don't wanna wait
you´ll let me inside out
it's too hard for me
there's no easy way out

you don't know and don't ask how
but i'm gonna make it work again
you don't know and don't ask why
but i'm gonna make it once again

refrao
if you give up now, who´s gonna loose
which one of us, is given up not being free
and if you give up now, who´s gonna loose
which one of us, is given up not being free

there´s something between us
that we can't shake out
it's cristal clear
that it ain't gonna last

you don't know and don't ask why
but i'm trying to make it work
make it work

refrao

just look around and see
who you really need
who you really love
refrao

just look around and see
if you give up you won't be free
you won't be free yeah yeah

never look back (x 8)

publicado por Bruma às 19:39
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 6 seguidores

.Março 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Milow - Ayo Technology

. Muse - Undisclosed Desire...

. porque é sempre assim.. p...

. Chasing pavements.. alway...

. Desejo.... e desejo-te

. Just feel better

. Paradise

. Há dias assim

. quase, quase..

. O silêncio

.arquivos

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Outubro 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 
SAPO Blogs

.subscrever feeds